26 Setembro 2013

A Viagem...



Hoje reconheci os meus passos!
Os que me fizeram doer, os que me fizeram parar, os que me fizeram voltar, até os que me fizeram recomeçar.
As pedras que tive de afastar, as cordas que tive de soltar, as lágrimas que por vezes parei outras fiz correr, e a força que me fez chegar aqui.
Hoje reconheço outra estrada, um novo caminho...

Um coração pode tudo, mas não consegue deixar de sentir e sentir por vezes dói...mas se estás, até me esqueço.

Quando te olho, reconheço o teu imenso Ser...A tua luz, o aconchego do teu abraço, fazem-me regressar ao ponto de partida, como um raio de luz que quer percorrer mais uma bela caminhada, um farol que põe fim a uma travessia por mares de tempestades. 

Nada mais que um reencontro entre tudo o que fomos, somos e seremos!

Um acalmar das aguas, onde as ondas se enrolam e se deixam cair sobre a praia... Onde não quero ser ancora, ou mesmo porto de abrigo! Quero simplesmente Ser, quando estiver perto, e que também Sejas quando estiveres longe...

Posso ser o vento que te sopra ao ouvido, um arco-íris que te alegra, uma estrela guia que ilumina sonhos, um calor que envolve, quando o frio se faz sentir. Posso ser tudo e posso ser nada...mas podemos ser juntos!

E devagar devagarinho, chegaremos onde sempre estivemos sem saber. Seremos melhor quem somos, unidos por uma força que não se pode ver, só Sentir...e ai começará a mais bela viagem!

09 Abril 2013

Liberdade de Ser...




O tempo parou no Agora, as vozes vão acalmando, as asas reabrem-se para voar...
E mergulhando no momento, volto a sentir cada pedaço, redescubro o que parecia ter ficado para trás, reencontro lugares meus, nos teus, noutros, por ai!

De repente volto a sentir-me em casa, no aconchego do meu próprio lar.
De repente sinto a liberdade de SER!
De repente a tranquilidade passou a ser um trilho onde salto, rodopio e danço,
De repente dou por mim a olhar-me ao espelho e a reconhecer o bom que é ser assim...

12 Março 2013

De mim para ti...Lara



Há coisas que não sabemos explicar, existem momentos em que os sentimentos nos atropelam todos os sentidos.
De tal forma que poucas são as palavras para manifestar tudo o que estamos a sentir.
Vais-te embora amanhã…Sei que nos últimos tempos faltei a tantos compromissos de amizade, por este ou aquele motivo. Mas amanhã vais-te embora…
É nestes momentos que sentimos com toda a clareza a imensidão da Amizade.
O carinho dos Sorrisos partilhados, a gratidão pelos abraços, a alegria de ter vivido o pleno contigo, connosco.
As nossas imagens ressurgem como flashes, as cores!
Rosa é a tua cor. Sempre que a vejo associo a ti, já imaginaste as vezes que me lembro de ti durante o dia?
Seja como for amanhã vais-te embora…para outro país, atrás do teu sonho!
Lembra-te que levas um pouco de mim contigo e que por isso qualquer Mundo será pequeno para Nós.
Desejo que todos os Horizontes se abram para ti.  E que sejam repletos de cores quentes e frias, mas sempre a esbater o rosa carinhoso que tanto precisas todos os dias.
E quando te encontrares, quando chegares lá…lembra-te que o Sonho continua como quiseres, e eu estarei sempre contigo.

17 Dezembro 2012

Colagens

"Até morrer, estarei enamorada de coisas impossíveis!"   

28 Agosto 2012

As minhas páginas...



Talvez porque as historias se contam através dos livros, ou porque como as folhas dum livro a nossa vida é construida de páginas e capitulos, achei que deveria virar a página a um volume imenso da historia da minha vida. 
Sei que sou saudosista por natureza, que adoro folhear as minhas historias encadernadas nesta memória de elefante, que se soltam no abrir duma janela ou numa rajada de vento...Ultimamente até prefiro não guardar aqueles pedaços de vida na minha caixinha de segredos. As memórias fazem bem, trazem a brisa da nostalgia do que foi, com suspiros intensos pelo que também poderia ter sido.
Mas chegou a altura de virar umas páginas, uns capitulos, ou mesmo arrumar uns quantos volumes de história. Não só pelo peso que também transportam com o tempo, mas porque preciso de arranjar espaço para o melhor, e que está para vir. Já me esqueci de ter espaço para descobrir nos sorrisos dos outros coisas novas e não as fraquezas de sempre. Parece que há paginas da nossa vida que persistem em deixar glossarios desnecessários, que delimitam as nossas paginas seguintes.
É como se achassemos que já sabemos quase tudo, e que tudo se resumisse de certa forma a parte do que já foi dito, num outro sitio, numa outra hora,  a um outro qualquer. Mas chegou a altura de virar umas quantas páginas, de deixar de presumir o novo para o deixar acontecer. De deixar de questionar como vai ser, antes do que quer que seja. De deixar voar umas quantas paginas se for preciso para libertar angustias, medos, ressentimentos... É tempo de voltar a sentir. 
De dedilhar emoções entre os segundos seguintes. De fazer das horas teclas dum piano que não para de tocar notas diferentes, com a harmonia de saber que só vivendo se cresce e escrevem as verdadeiras histórias através dos tempos. Mas chegou a altura de virar a pagina e fazer das minhas histórias, uma verdadeira vida em que as páginas em branco, serão esboço para tudo aquilo que sonhei ser!

23 Agosto 2012

A Pele Que Há Em Mim...

A Pele Que Há Em Mim

Quando o dia entardeceu
E o teu corpo tocou
Num recanto do meu
Uma dança acordou
E o sol apareceu
De gigante ficou
Num instante apagou
O sereno do céu

E a calma a aguardar lugar em mim
O desejo a contar segundo o fim.

Foi num ar que te deu
E o teu canto mudou
E o teu corpo do meu
Uma trança arrancou
E o sangue arrefeceu
E o meu pé aterrou
Minha voz sussurrou
O meu sonho morreu

Dá-me o mar, o meu rio, minha calçada.
Dá-me o quarto vazio da minha casa
Vou deixar-te no fio da tua fala.
Sobre a pele que há em mim
Tu não sabes nada.


Quando o amor se acabou
E o meu corpo esqueceu
O caminho onde andou
Nos recantos do teu
E o luar se apagou
E a noite emudeceu
O frio fundo do céu
Foi descendo e ficou.

Mas a mágoa não mora mais em mim
Já passou, desgastei
Para lá do fim
É preciso partir
É o preço do amor
Para voltar a viver
Já não sinto o sabor
A suor e pavor
Do teu colo a ferver
Do teu sangue de flor
Já não quero saber.


Dá-me o mar, o meu rio, a minha estrada.
O quarto vazio na madrugada
Vou deixar-te no frio da tua fala.
Na vertigem da voz
Quando enfim se cala...


http://www.youtube.com/watch?v=Jd7-1EUtsCQ&feature=related

20 Agosto 2012

A minha frase de hoje...


Não há nada mais PERFEITO, 
que render-se à IMPERFEIÇÃO profunda, 
 do próprio SER!

04 Dezembro 2011

Suspiros do Coração


Despir uma peça e outra de ansiedade, deixar o tempo fluir em paz, acalmar aquela ideia fixa um pouco, diminuir o volume da barulheira mental, mudar o destino do foco só pra variar, mesmo que nem dure muito, costuma criar um lugar de descanso aprazível e reparador na  nossa vida.

Quando não há mais nada que possamos fazer para tentar modificar algumas circunstâncias, o que existe de mais confortável no mundo, é sem duvida a liberdade da entrega e a coragem da aceitação de que as coisas possam ser simplesmente como são. 

02 Dezembro 2011

Colagens de coração...



"Confia no teu coração se os mares pegarem fogo. E vive sempre por Amor, mesmo que as estrelas caminhem na direção oposta..."

15 Novembro 2011

Recortes de Coração


Li que nunca se corre atrás do Amor, ele pode pensar que é um jogo e fugir...
Dizia para apenas esperar pelo Amor verdadeiro, pois na hora certa ele vai encontrar, o caminho para o meu coração.

21 Setembro 2011

Ao meu Amor Eterno...


Se partir antes de ti, não chores a minha ausencia. Alegra-te por aquilo que tivemos!
Não me procures entre os mortos onde nunca estivemos, mas encontra-me nas coisas que não teriam existido se não nos tivessemos encontrado, e amado.
Estarei a teu lado em tudo o que criamos, nas alegrias e no riso, nos amigos e quem por nós passou, e até mesmo nos fracassos.
Estarei a teu lado no tempo que passa, no espaço que muda, no caminho que decidires percorrer... Estarei a teu lado porque há Amor verdadeiro em tudo o que é nosso, e porque o Amor verdadeiro nunca acaba.
Não te agarres a recordações nem a objetos, porque ao olhares para os sitios por onde passamos e ao falares com as pessoas com quem falamos, eu ali estarei, nós ali estaremos, o Mundo estará salpicado de nós...
Não chores a minha ausência, porque nesse momento so te faltara o meu calor e o som da minha voz.
Chora se quiseres mas porque o corpo se enche de lagrimas de tudo o que é maior e não compreende. E vive! Vive a criar cada dia, cada vez mais e cada vez melhor. Eu sentirei orgulho de quem és!
E no fim, quando a morte voltar a unir-nos, que digam: se não tivesse havido aquele Amor o que seria, de nós...

04 Agosto 2011

Existem amores...
E existe um amor especial, apenas uma vez em nossas vidas... este tipo de amor pertence ao Céu, é incondicional e ele será para sempre... como uma marca cósmica, uma infinita lágrima de alegria e um abraço sem fim! O difícil é descobri-lo, discerní-lo, em meio às tempestades do nosso coração.

17 Julho 2011

'Aforismos para a Sabedoria de Vida'

Só o Presente é Verdadeiro e Real
Um ponto importante da sabedoria de vida consiste na proporção correcta com a qual dedicamos a nossa atenção em parte ao presente, em parte ao futuro, para que um não estrague o outro. Muitos vivem em demasia no presente: são os levianos; outros vivem em demasia no futuro: são os medrosos e os preocupados. É raro alguém manter com exactidão a justa medida. Aqueles que, por intermédio de esforços e esperanças, vivem apenas no futuro e olham sempre para a frente, indo impacientes ao encontro das coisas que hão-de vir, como se estas fossem portadoras da felicidade verdadeira, deixando entrementes de observar e desfrutar o presente, são, apesar dos seus ares petualentes, comparáveis àqueles asnos da Itália, cujos passos são apressados por um feixe de feno que, preso por um bastão, pende diante da sua cabeça. Desse modo, os asnos vêem sempre o feixe de feno bem próximo, diante de si, e esperam sempre alcançá-lo.
Tais indivíduos enganam-se a si mesmos em relação a toda a sua existência, na medida em que vivem ad interim [interinamente], até morrer. Portanto, em vez de estarmos sempre e exclusivamente ocupados com planos e cuidados para o futuro, ou de nos entregarmos à nostalgia do passado, nunca nos deveríamos esquecer de que só o presente é real e certo; o futuro, ao contrário, apresenta-se quase sempre diverso daquilo que pensávamos.
O passado também era diferente, de modo que, no todo, ambos têm menor importância do que parecem. Pois a distãncia, que diminui os objectos para o olho, engandece-os para o pensamento. Só o presente é verdadeiro e real; ele é o tempo realmente preenchido e é nele que repousa exclusivamente a nossa existência. Dessa forma, deveríamos sempre dedicar-lhe uma acolhida jovial e fruir com consciência cada hora suportável e livre de contrariedades ou dores, ou seja, não a turvar com feições carrancudas acerca de esperanças malogradas no passado ou com ansiedades pelo futuro. Pois é inteiramente insensato repelir uma boa hora presente, ou estragá-la de propósito, por conta de desgostos do passado ou ansiedades em relação ao porvir.

Amor...


"Amei a vida inteira e sei de cor as leis do amor.
Umas são de pedra, outras de água transparente.
A vida inteira e não sei ainda o caminho..."

03 Julho 2011

Recortes


Adoramos a perfeição, porque não a podemos ter; repugna-la-íamos, se a tivéssemos.
O perfeito é desumano, porque o humano é imperfeito.

25 Junho 2011

O Tempo...

O verdadeiro Amor é ...Eterno!

21 Abril 2011

Pensamentos

"Cada minuto que passa pode ser tudo que me resta para viver, mas eu desperdiço o tempo como se ele fosse infinito. Penso, logo sei que existir é uma circunstância."

24 Março 2011

Recortes


"A esperança adquire-se...
Chega-se à esperança através da verdade, pagando o preço de repetidos esforços e de uma longa paciência.
Para encontrar a esperança é necessário ir além do desespero.
Quando chegamos ao fim da noite, encontramos inevitavelmente a aurora.”
Que o desespero nunca ganhe a batalha!

19 Março 2011

Colagens


Saudade é amar um passado que ainda não passou,
é recusar um presente que nos doi,
é não ver o futuro que nos convida.

Saudade é sentir que existe,
o que não existe mais...
Simplesmente, a saudade existe.

14 Março 2011

E se...


E se nos encontrássemos?
e se nos adorássemos um ao outro?
e ficássemos horas e horas a conversar
pelo simples prazer da companhia...

E se eu te mandasse flores
e te convidasse para sair?
e terminássemos a noite num doce beijo
após uma maravilhosa noite de amor!
A primeira de muitas noites maravilhosas de amor que viriam...

E se viajássemos juntos por aí
Voando e curtindo todos os lugares,
vivendo inúmeras aventuras,
fazendo milhares de amigos,
e coleccionando estórias e mais estórias para contar...

E se eu olhasse profundamente nos teus olhos
e pedisse a tua mão,
e formássemos um lar
com direito a filhos, gatos, cachorros, papagaios,
um lindo jardim,
e até sogras para nos visitar...

E se a felicidade entrasse de tal forma nas nossas vidas
que não houvesse problemas ou dificuldades
capazes de nos entristecer
ou de nos abalar...

E se todos os dias eu olhasse para ti
e descobrisse sempre um novo motivo
para eu me apaixonar ainda mais...

E se o destino não nos reservasse nada disso
e se nem sequer nos encontrássemos,
ou se amanhã eu nem estivesse aqui para te ver?
Apenas por eu ter te conhecido
e ter vislumbrado tudo isso
já teria valido a pena viver,
já teria valido a pena sonhar...

Augusto Branco
"VIDA - Já perdoei erros imperdoáveis"

10 Março 2011

Colagens


Quando a alma, ao termo de mil hesitações e desenganos, cravou as raízes para sempre num ideal de amor e de verdade, podem calcá-la e torturá-la, podem-na ferir e ensanguentar, que quanto mais a calcam, mais ela penetra no seio ardente que deseja. (Guerra Junqueiro)

01 Março 2011

O meu coração cresceu...(para ti, meu filho Salvador)


Amei-te desde do primeiro segundo em que ouvi os batimentos do teu coração.
Amei-te desde a primeira vez que te senti mexer dentro de mim.
Amei-te logo no primeiro minuto em que nasceste. Só tinhas um minuto de vida e já sabia que morreria por ti.
Amei-te ao ver esses olhos ainda meio fechados e perceber como tudo em ti era perfeito!
Amei-te na tua primeira noite, a dormir ao meu lado...
Amar-te-ei em cada sorriso, em cada suspiro, em cada choro.
Amar-te-ei em cada passo, em cada recuo, estarei sempre ao teu lado.
Amar-te-ei em cada sonho e brincadeira, em cada profecia e aventura!
Quando escolhemos ter filhos, tomamos a decisão consciente de permitir, que o nosso coração passe a caminhar fora do corpo...
O meu coração cresceu desde de que nasceste, cresceu e continuará a crescer, de tanto Amor em Nós!

18 Fevereiro 2011

Colagens


Estamos ligados aos nossos actos como um fósforo à sua chama.
Eles consomem-nos, é verdade, mas são eles que nos dão o nosso esplendor.
E se mais tarde, a nossa alma valer alguma coisa, foi porque ardeu com mais ardor do que outras...

13 Fevereiro 2011

Recortes


"Deus traçou o caminho de cada um: o voo do falcão não é igual ao do cisne, mas isso pouco importa, desde que cada um sirva a verdade e a justiça.!" (Tolstoi)

Juntos por um só destino, não importa o caminho, mas o sentido do caminhar ...

03 Fevereiro 2011

Asa ferida...



"Fugia do que não podia controlar. Fugia magoado com a dor de se sentir inseguro, perdendo-se na fronteira entre a verdade e o medo dela.
Tivera uma efémera felicidade que ainda lhe corria nas veias, lhe percorria as artérias, lhe inundava o cérebro, ao mesmo tempo que se transformava num regato de solidão. “Os lugares dos outros atingem-nos na nossa insegurança!” – Era o pensamento que o levava a um lago parado: um lugar que não estava vago, que era habitado por cisnes brancos, onde não cabia um cisne negro.
Contudo, não conseguia evitar de a imaginar no voo das gaivotas...
As gaivotas e os sonhos possuem a liberdade de voar por entre as nuvens, indiferentes à agrura da viagem, apenas sentindo o odor a maresia no arco-íris que perseguem. O voo das gaivotas é sustentado pelas asas; são elas a segurança do voo no sopro do vento.
Mas nem ele era uma gaivota nem as suas asas lhe permitiam voar. Era um cisne negro de asa ferida, que tinha sido atingida na sua ainda débil segurança. Não, não podia aventurar-se no voo - as suas asas mal lhe amparavam a fuga. Como poderia ele voar, rumo ao destino do Amor da sua vida... "

01 Fevereiro 2011

A Lua, da Alma...


Dispo o cansaço e recomeço mais uma vez...
Há um sorriso que nos salva do frio e recolhe o que a vida por vezes desfaz.
Há um abrigo que não deixa morrer quem somos e o que temos para dar.
Há uma luz de esperança que aquece o gelo, da falta do unico abraço que nos embala.
Por isso sigo esse brilho da noite, que és tu em mim ou eu em ti...
E deixo-me ir na minha lua, para descobrir e tocar, a alma de quem sou contigo.

18 Maio 2010

Estar Presente...

Por vezes reflicto sobre o modo como me dedico às pessoas que encontro... Recordo aquelas raras pessoas que me fizeram de alguma forma sentir ser a pessoa mais importante do Mundo, após uma simples conversa...
Criar esta atitude não é fingir que aquilo que a pessoa diz é importante, mas é sentir verdadeiramente o que está a acontecer. Em tudo o que nos é dado viver, somos desafiados a estar presentes diante daquilo que está a acontecer.
Isso implica uma disponibilidade interior e uma consciência que as coisas urgentes podem esperar quando se trata de cuidar de alguém.
No fim, não falta tempo quando ajudamos a construir uma paisagem melhor no coração de alguém.

10 Março 2010

Suave...

Acho que não vale muito a pena tentar mudar de forma brusca. Certamente que até existem aspectos na nossa vida que exigem algum corte ou mudança repentina, mas acredito que isto se aplica a uma parte bem pequena dos nossos momentos.
De facto, a nossa vida tem uma continuidade de sensações e impressões às quais devemos estar atentos. É importante entender até que ponto todas as coisas nos ajudam a construir na autenticidade e na verdade. Isto faz-se com pequenos passos e certezas cada vez maiores, mais inteiras...
A vida parece muitas vezes rápida e brusca, mas o passar do tempo é tão mais suave do que a maioria das vezes supomos.... Ter consciência da suavidade do toque de cada acontecimento dá outro respirar àquilo que estamos a fazer, alimenta as nossas expectativas numa outra direcção. Torna-nos mais atentos, mais centrados, com maior respeito por mim e pelos outros, dá liberdade ao sentir...

04 Fevereiro 2010

...entre o Bem e o mal...

Por vezes sentimos cansaço... fazemos uma opção clara pelo Bem, aquilo que de bom queremos para nós e para quem gostamos. Somos criativos nos modos de amar, acabamos por nos realizar como pessoas, quando nos entregamos a coisas positivas e luminosas na nossa Vida. Apesar de não conseguirmos chegar a tudo e a todos...

É um facto que o mundo continua a girar, apesar de tantos esforços, às vezes pensados tão pequenos e inúteis. No fundo, é o suficiente para mudar qualquer coisa à minha volta. Mas não chega...

Apesar de não querermos ver para além da beleza. Há pessoas que, de facto, não valeriam a pena, jamais iriam perceber o meu sentir, a minha forma de Amar. E aquelas que não me aceitam assim, não reconheceriam nenhum dos meus tesouros. Sou o Bem para quem o reconhece em mim. Mas também não chega...

Apesar de por vezes limitar o ver esse bem, pouco para além do estar, ou mesmo por gostar de estar bem e reunir com o suor do meu rosto aquilo que sinto merecer, pelo empenho que tive. Mas não chega...
E continuo cegamente agarrada ao Bem... Mas também não chega!

Porque é que não reconheço algum tipo de mal nos limites do meu bem? Porque é que sinto esta atracção irresistível de querer atingir um Bem maior que o meu? Porque é que nunca digo que já é suficiente?
O Bem transcende-nos completamente. Ser fiel ao meu Bem só me faz querer sair da minha zona de conforto, da casca onde me escondo para estar quente e aconchegada, para abrir a porta! Para sentir o enfrentar do vento e da chuva. Sempre que conseguir sair daquilo que penso que já é meu, se for um pouco mais além, se me permitir perder para ganhar, acho que quer dizer que o meu Bem me supera, e acima de tudo é verdadeiro...

28 Janeiro 2010

Crescimento...

Uma das grandes perguntas que frequentemente nos fazemos é acerca do nosso Crescimento? Temos, por vezes, a sensação que não saímos do mesmo sitio, ou mesmo que até andámos para trás. Em tudo isto, pode esconder-se uma dificuldade em não olhar a nossa história e ver o caminho percorrido.
Muitos dos acontecimentos da nossa vida passada e presente são pouco esclarecidos e não temos a certeza se trouxeram realmente, algo de novo à nossa Vida. Muitas vezes, só muito mais tarde nos damos conta do quanto crescemos por ter tido uma certa conversa, ter conhecido alguém, ter visitado aquele lugar...
Somos feitos das nossas memórias inconscientes, e é bom tomar consciência que somos o resultado de tudo o que experimentámos.
Daí que podemos pensar na nossa história como sementes que estão em pleno crescimento. Isso ilumina e reconcilia o nosso presente. Somos fruto de tantos dons, a maioria deles gratuitos. Viver em agradecimento, também gera a confiança para um futuro que será aquilo que fizermos, das coisas que recebemos.

18 Janeiro 2010

Colagens

Se um homem tiver alguma grandeza dentro de si, ela aparecerá, não num momento espectacular, mas no registo do seu dia-a-dia.” (Beryl Markham)
É o dia-a-dia que faz de nós heróis!

17 Janeiro 2010

Colagens

"O Homem não vive onde mora, mas sim onde Ama..."

É impossível que nas nossas relações mais profundas não haja um momento em que confrontemos as pessoas, ou essas nos confrontem, com a própria fragilidade. Mas o que está por detrás não é um sentimento de superioridade, mas um desejo de autenticidade nossa e do outro. Quem ama, não tem medo das consequências, porque sabe que o amor tem a última palavra. Quem ama acredita (tem fé) e confia (tem, esperança) no outro.
O discernimento segundo o amor está numa fronteira entre olhar o outro como um mundo de bem a realizar ou como alguém a transformar à minha medida. Ao acreditar que determinada pessoa pode mudar as suas atitudes, quando este é amado, a forma de o expressar nunca será um ataque, mas um apelo à própria verdade. Na caridade existe esta transparência e esta paciência. Não se desiste à primeira, mas procura-se de todos os modos, e no tempo que for necessário, que haja alguma transformação.
Não desistir é a atitude de quem ama. Só estes podem mudar o mundo e as pessoas. Quando desistimos, fazemos do outro uma parte do nosso mundo que já não vale a pena estar atento. Mas não é este o supremo modo de amar... Tudo é importante, e na sabedoria do coração, devemos respeitar os ritmos e sobretudo acreditar que o outro tem um valor inestimável. Daí, que o amor seja coerente, paciente e profético, no sentido em que não instrumentaliza o outro segundo as minhas expectativas, mas o aceita como é e, sobretudo como pode vir a ser.
Este será o preço da generosisade, sair do comodismo e entrar num mundo de acção que verdadeiramente transforma. Muitas vezes sem resultados evidentes, mas no mundo das relações nada é previsível, só o Amor pode dar alguma continuidade ao que pode vir a acontecer...

13 Janeiro 2010

Recortes

Pedes-me um Tempo, para balanço de vida mas eu sou de letras e não me sei dividir. Para mim um balanço é mesmo balançar, balançar até dar balanço e sair...

Pedes-me um Sonho, para fazer de chão, mas eu desses não tenho só dos de voar. E agarras a minha mão com a tua mão e prendes-me a dizer, que me estás a salvar: de quê? de viver o perigo, de quê? de rasgar o peito, com o quê? de morrer mas de que, paixão? de quê? se o que mata mais é não ver, o que a noite esconde e não ter nem sentir o vento ardente a soprar o coração...

Tens o Mundo, dentro das mãos fechadas, e o que cabe é pouco, mas é tudo o que tens. Esqueces que às vezes quando falha o chão, o salto é sem rede e tens de abrir as mãos?

Pedes-me um Sonho, para juntar os pedaços, mas nem tudo o que parte se volta a colar. E agarras a minha mão, com a tua mão, e prendes-me, e dizes-me para te salvar! De quê? de viver o perigo de quê? de rasgar o peito, com o quê? de morrer mas de que, paixão? de quê? se o que mata mais é não ver, o que a noite esconde e não ter nem sentir o vento ardente, a soprar o Coração...

Colagens

Crie desejos, fantasias e ilusões,
Crie exíguas desmedidas emoções
Crie laços bem atados de ternura,
Crie espaços despojados de censura,
Crie elos que alicerçam a amizade,
Crie sólidas alianças ao seu redor,
Crie esperanças de um mundo melhor!
Crie Sonhos, risonhos, ridentes...
Crie sorrisos, preciosos, pungentes...
Crie novas formas de ser ou de estar,
seja para se conhecer ou se reinventar!
Crie vínculos afectivos regulares,
Crie...!!!!!!!!!!!

06 Janeiro 2010

Coração Grande!

Seja rápido a esquecer qualquer forma de insulto,e lento a esquecer a importância de um Coração Grande...

31 Dezembro 2009

Feliz Ano Novo, boa travessia!

Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas,
Que já têm a forma do nosso corpo ...
E esquecer os nossos caminhos que nos levam
sempre aos mesmos lugares ...
É o tempo da travessia !
E se não ousarmos fazê-la, teremos ficado,
para sempre ...
À margem de nós mesmos...

28 Dezembro 2009

Pensar é transgredir

Não lembro em que momento percebi que viver deveria ser uma permanente reinvenção de nós mesmos, para não morrermos soterrados na poesia da banalidade, embora pareça que ainda estamos vivos. Mas compreendi, num lampejo: então é isso, então é assim. Apesar dos medos, convém não ser demais fútil nem demais acomodada. Algumas vezes é preciso pegar o touro pelos chifres, mergulhar para depois ver o que acontece: porque a vida não tem de ser sorvida como uma taça que se esvazia, mas como o jarro que se renova a cada gole bebido.
Para reinventar-se é preciso pensar: isso aprendi muito cedo. Apalpar, no nevoeiro de quem somos, algo que pareça uma essência: isso, mais ou menos, sou eu. Isso é o que eu queria ser, acredito ser, quero me tornar ou já fui. Muita inquietação por baixo das águas do quotidiano. Mais comodo seria ficar com o travesseiro sobre a cabeça e adoptar o lema reconfortante: "Parar pra pensar, nem pensar !"
O problema é que quando menos se espera ele chega, o sorrateiro pensamento que nos faz parar. Pode ser no meio do shopping, no trânsito, na frente da televisão ou do computador. Simplesmente escovando os dentes. Ou na hora da droga, do sexo sem afecto, do desafecto, do rancor, da lamúria, da hesitação e da resignação.
Sem ter programado, a gente pára pra pensar. Pode ser um susto: como espiar de um berçário confortável para um corredor com mil possibilidades. Cada porta, uma escolha. Muitas vão se abrir para um nada ou para algum absurdo. Outras, para um jardim de promessas. Alguma, para a noite além da cerca. Hora de tirar os disfarces, aposentar as máscaras e reavaliar: reavaliar-se .
Pensar pede audácia, pois refletir é transgredir a ordem do superficial que nos pressiona tanto. Somos demasiado frívolos: buscamos o atordoamento das mil distracções, corremos de um lado a outro achando que somos grandes cumpridores de tarefas. Quando o primeiro dever seria de vez em quando parar e analisar: quem a gente é? o que fazemos com a nossa vida? o tempo, os amores... E com as obrigações também, é claro, pois não temos sempre cinco anos de idade, quando a prioridade absoluta é dormir abraçado no urso de pelúcia e prosseguir no sono, o sonho que afinal nessa idade ainda é a vida.

Mas pensar não é apenas a ameaça de enfrentar a alma no espelho: é sair para as varandas de si mesmo e olhar em torno, e quem sabe finalmente respirar. Compreender: somos inquilinos de algo bem maior do que o nosso pequeno segredo individual. É o poderoso ciclo da existência. Nele todos os desastres e toda a beleza têm significado como fases de um processo. Se nos escondemos num canto escuro abafando nossos questionamentos, não escutaremos o rumor do vento nas árvores do mundo. Nem compreenderemos que o prato das inevitáveis perdas pode pesar menos do que o dos possíveis ganhos. Os ganhos ou os danos dependem da perspectiva e possibilidades de quem vai tecendo a sua história. O mundo em si não tem sentido sem o nosso olhar que lhe atribui identidade, sem o nosso pensamento que lhe confere alguma ordem.
Viver, como talvez morrer, é recriar-se: a vida não está aí apenas para ser suportada nem vivida, mas elaborada. Eventualmente reprogramada. Conscientemente executada. Muitas vezes, ousada.

Parece fácil: "escrever a respeito das coisas é fácil", já me disseram. Eu sei. Mas não é preciso realizar nada espetacular, nem desejar nada excepcional. Não é preciso nem mesmo ser brilhante, importante, admirado. Para viver de verdade, pensando e repensando a existência, para que ela valha a pena, é preciso ser amado, e amar e amar-se! Ter esperança; qualquer esperança. Questionar o que nos é imposto, sem rebeldias insensatas mas sem demasiada sensatez. Saborear o bom, mas aqui e ali enfrentar o ruim. Suportar sem se submeter, aceitar sem se humilhar, entregar-se sem renunciar a si mesmo e à possível dignidade.
Sonhar, porque se desistimos disso apaga-se a última claridade e nada mais valerá a pena. Escapar, na liberdade do pensamento, desse espírito de manada que trabalha obstinadamente para nos enquadrar, seja lá no que for. E que o mínimo que a gente faça seja, a cada momento, o melhor que afinal se conseguiu fazer.

16 Dezembro 2009

Recortes

«Quando amamos alguém, não perdemos só a cabeça, perdemos também o nosso coração.
Ele salta para fora do peito e depois, quando volta, já não é o mesmo, é outro, com cicatrizes novas.
Às vezes volta maior, se o amor foi feliz, outras, regressa feito numa bola de trapos, é preciso reconstruí-lo com paciência, dedicação e muito amor-próprio.
E outras vezes não volta...
Fica do outro lado da vida, na vida de quem não quis ficar do nosso lado.»

11 Dezembro 2009

Felicidade? Sim!

Quando poderemos afirmar a nossa felicidade?
Parece que sempre a associamos a momentos fugidios e pontuais, em que tivémos a sorte que todas as circunstâncias se combinassem em momentos perfeitos e completos.
Mas se passa, quer dizer que seria um completo aparente, um relâmpago de paraíso sonhado e perdido. Ou então não tivémos a capacidade de ir além do momento e perceber a sua eternidade.
A felicidade é uma conquista livre e quotidiana. É uma persistência num olhar que se mantém igual em diferentes paisagens.
A felicidade completa é um futuro e um presente. Sempre a buscamos e encontramos quando descemos em nós e percebemos experiências que nos definem desde sempre.
A grande experiência da vida é a sua capacidade de surpreender e desafiar os nossos fundamentos. Põem em questão o material de que somos feitos, entre incapacidades e realizações que nos deixam perplexos do quanto somos capazes quando existimos em confiança e serenidade. Aí nada nos poderá tirar a paz.

22 Novembro 2009

Sinto Muito!

A Vida é tempo entre parêntesis,
Alma a nu, sentimento despido de pudor,
O Amor como razão de Ser e de Viver!

13 Novembro 2009

O Amor e o medo....

Quando tenho medo de alguma coisa, será que é porque não tenho Amor?
O medo significa mudanças não desejadas na nossa Vida. Mas às vezes são inevitáveis, e sofre-se com isso. O Amor pode ser então a capacidade de transformar o que não desejo, amar dores e desilusões não é fácil. Mas é um caminho possível...
Quem ama, fica mais simples, e sabe que as coisas são passageiras. Quem ama sabe esperar e ser verdadeiro com os acontecimentos da alma e do corpo.

Amar é não ficar agarrado às coisas que passam, é tomá-las como certeza de caminho, percorrido com a coragem de continuar...


http://www.youtube.com/watch?v=c9OVvxLkYdk

(Imortal, Rodrigo Leão)

Pensamentos

A intenção com a qual fazemos algo, conta mais do que tudo.
Quando o fazemos com sentimentos verdadeiros de amor e cooperação, basta esta energia para que parte da tarefa seja naturalmente realizada...

04 Novembro 2009

Imagens

Nada existe por mera coincidência. Cada árvore no jardim da Vida, tem o seu significado...

03 Novembro 2009

Pensamentos


Quando observar e aprender com o que se passa a minha volta, vou descobrir o segredo para permanecer inabalável e ir além de tudo o que se vê...

28 Outubro 2009

Pensamentos

É da responsabilidade de cada um aquilo que decide cultivar dentro de si. Os pensamentos e os sentimentos pacíficos fazem crescer, um jardim de flores...

27 Outubro 2009

Esta: Sou eu!

A Inocência que perdura, nos mais pequenos gestos
que nos reflectem...